Sensor de estacionamento: o que é preciso saber?

Enviado por Comandante em 27 de Novembro de 2020
27 de Novembro de 2020
Sensor de estacionamento | DINAMICAR PNEUS

Entre as várias atividades que demandam uma atenção maior dos motoristas, estacionar o carro é uma das principais. Essa ação faz parte das maiores dificuldades de muitos condutores. Para isso, é preciso ter o conhecimento de algumas técnicas que são ensinadas na autoescola. Além disso, há recursos que facilitam essa prática. Um deles é o sensor de estacionamento, que é muito apreciado por aqueles que têm essa tecnologia no veículo. Ele garante maior segurança e tranquilidade ao informar se há obstáculos que possam colidir com o automóvel. Para saber os tipos de sensores e como funcionam, continue a leitura.

O que é sensor de estacionamento?

A tecnologia proporcionou diversos benefícios aos motoristas com o uso de recursos que auxiliam a direção. Um desses modernos artifícios é o sensor de estacionamento, acessório que facilita essa ação, que é considerada muito complicada para os recém habilitados. O fato de poder bater com o carro em algum outro é uma preocupação constante. No entanto, é importante desconstruir o pensamento que muitas pessoas têm de que esse equipamento serve apenas para aqueles que possuem problemas no momento da baliza. Isso porque, com ele, é possível estacionar muito mais rápido. Sendo assim, é extremamente útil quando se está com pressa.

Quais os tipos de sensor de estacionamento e como funcionam?

Com a função de averiguar se há objetos próximos ao automóvel, o sensor de estacionamento notifica o motorista quando ele corre o risco de bater o carro. Os modelos mais comuns emitem sons de alerta que aumentam a intensidade conforme o veículo chega mais perto do obstáculo. A maior parte dos sensores inicia os avisos a partir de 150 centímetros de distância. Quando o som torna-se mais acentuado, significa que está quase colidindo e o motorista não deve continuar a manobra.

O sensor de estacionamento mais comum é o traseiro, que capta tudo que está atrás do veículo. No entanto, também é possível ter na parte dianteira e lateral do carro. Com muitas opções no mercado, existem quatro tipos de sensores: um que emite somente os sons, aquele que também manifesta avisos luminosos, outro que fornece um display exibindo a distância entre o objeto e o automóvel e o que possui câmera de ré, que permite uma visualização real.

Em qualquer um dos modelos, o sensor funciona por meio de ultrassom ou eletromagnetismo. O ultrassonográfico, tecnologia também utilizada em radares móveis e aviões, envia ondas sonoras que não são capazes de serem ouvidas pelo ser humano. Elas colidem com os objetos próximos ao carro e retornam para o sensor, que calcula o tempo de viagem do sinal do obstáculo até ele. Sendo o tipo mais utilizado, o recurso por ultrassom pode ser instalado em para-choques de qualquer material.

Já o eletromagnético, não é indicado aos que têm para-choque de metal, pois pode atrapalhar o envio do sinal. Além disso, ele é instalado na estrutura do carro. Para isso, é necessário retirar o para-choque. Esse recurso envia ao objeto sinais eletromagnéticos, que retornam para o sensor. Desta forma, mostra a distância para que o condutor possa estacionar com segurança.

Sensor de estacionamento acessível a todos

Diferente do que muitos pensam, o sensor de estacionamento não está presente somente em carros novos. Veículos antigos também podem receber a instalação dessa tecnologia, que deve ser realizada por especialistas da área. Na Dinamicar Pneus, loja de pneus no Rio de Janeiro, há profissionais antenados nas novidades do setor automotivo que podem ajudar a sanar suas dúvidas. Nossa equipe qualificada está pronta para lhe receber em uma de nossas lojas em Botafogo, Campo Grande, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Olaria, Vila Valqueire, no Maracanã, Recreio e na Barra da Tijuca.

Categorias